Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn
  • asd.JPG
  • lkjut.JPG
  • mbnv.JPG
  • hfg.JPG
  • jgkjf.JPG
  • poiuy.JPG
  • asdfg.JPG

Governo bloqueia R$ 6 milhões de recursos próprios da UEL

Governo bloqueia R$ 6 milhões de recursos próprios da UEL
O governo do Paraná bloqueou R$ 6,058 milhões da Universidade Estadual de Londrina, provindos de recursos próprios e previstos no orçamento da UEL. O bloqueio do dinheiro ocorreu nesta terça-feira (30), por volta das 18 horas. Os diretores dos nove Centros de Estudos foram informados da arbitrariedade da medida já na manhã desta quarta-feira (31), em reunião presidida pelo reitor em exercício Ludoviko Carnasciali dos Santos, realizada no Gabinete.
A medida afeta diretamente o desenvolvimento de atividades ligadas ao ensino e pesquisa, e ainda suspende o pagamento de bolsas aos estudantes indígenas, mantidos por meio de programas de permanência, já que a soma total foi retirada de duas fontes de recursos – as fontes 250 e a 100. A decisão do governo estadual também prejudica o andamento de projetos e programas desenvolvidos por alunos e professores dos cursos de graduação, e impossibilita a aquisição de materiais de consumo, que vão desde os produtos de limpeza até os insumos utilizados em laboratórios, assim como a manutenção de equipamentos.
Segundo o reitor em exercício, Ludoviko Carnasciali, a medida é uma tentativa de controle político, retaliação, e resultado da negativa da UEL em aderir ao sistema de gestão em recursos humanos, o Meta 4 RH-PR. “O bloqueio destes recursos afeta o andamento de todas as nossas atividades acadêmicas, prejudicando o Ensino em toda a sua extensão”, constata.
Os impactos deste contingenciamento junto aos 54 cursos de graduação estarão como extra-pauta na reunião do Conselho de Administração (CA), que ocorre na tarde desta quarta-feira (31), assim como na reunião mensal do Conselho Universitário (CU), que já estava marcada para a próxima sexta-feira, dia 2.
Durante o encontro com os diretores de Centros de Estudos, o reitor em exercício informou também que a Reitoria dará continuidade às diversas ações que já vinham sendo realizadas junto às comunidades interna e externa, como forma de esclarecer e informar os impactos para a Universidade caso implantasse o sistema Meta 4. E que ainda hoje, além de medida judicial, a UEL enviará ofício, via SETI, solicitando uma audiência com o governador Beto Richa (PSDB) para tratar desta e demais restrições ao orçamento da Instituição. Ludoviko informou ainda que além da UEL, a Universidade Oeste do Paraná (Unioeste) e a Universidade Estadual de Maringá (UEM) também sofreram bloqueio de recursos (4 milhões e 1,4 milhão, respectivamente). Coincidentemente, as três Universidades que não aderiram ao Meta 4 RH-PR.
O Meta 4 é um sistema criado pelo governo do Paraná que acompanha e controla o quadro de funcionários estaduais. A UEL e outras universidades do estado se recusam a aderir ao sistema, afirmando que ele ameaçaria a autonomia das instituições, dificultando a promoção de docentes e servidores por subirem de categoria (com a conclusão de um doutorado ou dedicação exclusiva à universidade, por exemplo).
Segundo a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI), as universidades podem solicitar a liberação dos recursos contingenciados. O pedido será encaminhado para análise da Secretaria de Estado da Fazenda.
(Redação com Agência UEL).




Fonte: http://www.tarobalondrina.com.br/secoes/cidades/2017/05/governo-bloqueia-r-6-milhoes-de-recursos-proprios-da-uel/

Style Selector

Layout Style

Predefined Colors

Background Image